NOVEMBRO É O MÊS DE…

DÉCIMO PRIMEIRO PASSO

Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, como nós O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós e forças para realizar essa vontade.

Os primeiros dez passos de MADA preparam o terreno para melhorar o nosso contato consciente com Deus, como o compreendemos. Eles nos dão a base para alcançarmos as nossas metas positivas que há muito buscamos. Entrando nesta fase do nosso programa espiritual, através da prática dos dez passos anteriores, a maioria de nós acolhe de bom grado o exercício da prece e da meditação. Nosso estado espiritual é o alicerce de uma recuperação bem sucedida, que oferece crescimento ilimitado.

Muitas de nós começam realmente a apreciar a recuperação quando chegamos ao Décimo Primeiro Passo. Nesse Passo nossas vidas adquirem um significado mais profundo. Ao deixar de controlar, ganhamos um poder muito maior através da rendição.

A natureza da nossa crença irá determinar a maneira como oramos ou meditamos. Só precisamos da certeza de que temos um sistema de crença que funcione para nós. Os resultados contam na recuperação. Nossas preces parecem funcionar, assim que entramos no programa e nos rendemos à nossa doença. O contato consciente, descrito neste passo é o resultado direto da vivência dos passos anteriores. Usamos este passo para melhorar e manter o nosso estado espiritual.

Quando viemos para o programa pela primeira vez, recebemos a ajuda de um Poder Superior; isto se deu com a nossa rendição ao programa. O objetivo do Décimo Primeiro Passo é aumentar a nossa consciência deste poder e melhorar a nossa capacidade de usá-lo como fonte de força em nossas novas vidas.

Quanto mais aprimoramos o nosso contato consciente com nosso Deus, através da prece e meditação, mais fácil dizer: “À medida que crescemos espiritualmente e encontramos um Poder Superior, nossas necessidades espirituais vão sendo satisfeitas e nossos problemas existenciais vão sendo reduzidos”. Assim, a vontade de Deus torna-se para nós a nossa própria vontade.

Deixamos de controlar as pessoas e passamos a deixá-los ser quem são.

É muito importante admitirmos a nossa impotência para, com a ajuda de Deus, nos manter fora de relacionamentos destrutivos. Com o constante contato com o Poder Superior as respostas que buscamos vem até nós e ganhamos capacidade de fazer o que não conseguíamos. Com o poder da oração alcançamos aquilo com que podemos lidar. Com uma atitude de rendição e humildade, retomamos este passo, repetidamente, para recebermos a dádiva do conhecimento e da força de Deus.

Quando chegamos ao Décimo Primeiro Passo, já podemos identificar e lidar com os defeitos de caráter que nos causavam problemas no passado, através do trabalho com os dez Passos anteriores. A imagem do tipo de pessoa que gostaríamos de ser é apenas um vislumbre da vontade de Deus para conosco. Frequentemente, nossa perspectiva é tão limitada que só conseguimos enxergar nossas vontades e necessidades imediatas.

É fácil recairmos em nossos velhos hábitos. Temos que aprender a continuidade do nosso crescimento e da nossa recuperação. Deus não vai nos impor a sua bondade, mas podemos recebê-la se pedirmos. Geralmente sentimos uma diferença na hora, mas só mais tarde é que notamos de fato as diferenças em nossa vida. Quando finalmente tiramos nossos motivos egoístas do caminho, começamos a descobrir uma paz que nunca imaginamos ser possível.

A maioria de nós só reza quando sente dor, aprendemos que se orarmos com mais regularidade não sentiremos dor com tanta frequência ou com tanta intensidade. Através da serenidade algumas coisas que não funcionavam para nós no passado, poderão funcionar hoje. Temos um novo olhar a cada dia com a mente aberta. Sabemos que se rogarmos a vontade de Deus, receberemos o que for melhor para nós. Esse conhecimento é baseado na nossa crença e na nossa experiência em recuperação.

Rezamos para que Deus mostre a Sua vontade, e para que nos ajude a realizá-la. Sua vontade e não a minha. Podemos pedir ajuda de Deus quando precisamos, e nossas vidas melhoram. Em alguns casos a Sua vontade é tão óbvia que temos pouca dificuldade em vê-la.

Em outros estamos tão egocêntricas que só aceitaremos a vontade de Deus depois de muita luta e rendição. Através da prece buscamos o contato consciente com o nosso Deus. Nem sempre a experiência de outra pessoa com a meditação e crenças religiosas individuais, são adequadas para nós. O nosso programa não é religioso, é Espiritual.

A meditação permite nosso desenvolvimento espiritual a nossa própria maneira. Acalmar a mente através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com o Deus dentro de nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação e nossa experiência confirma isso.

Perguntas do Décimo Primeiro Passo:

  1. Estou muito ocupada para orar?
  2. Não tenho tempo para a meditação?

Então me perguntarei se tenho sido capaz de resolver os meus problemas sem ajuda.

À medida que os encaro, dia após dia, desejo reconhecer a necessidade da Sua orientação. Não deixarei que este dia passe, nem qualquer outro dia daqui por diante, sem que me torne sinceramente cônscia de Deus.

Deus está presente em todas as Suas criaturas, mas nem todas estão igualmente cientes da Sua presença.