MAIO É MÊS DE…

QUINTO PASSO

Admitimos perante Deus, perante nós mesmas e perante outro ser humano, a natureza exata de nossos defeitos.

Após termos feito uma investigação de nossas vidas, listando através de um inventário escrito nossas características, nossos defeitos e qualidades, conversamos com alguém a esse respeito.

Admitir nossas falhas diante de outro ser humano pode parecer embaraçoso, mas devido a diversas razões é realmente necessário fazermos isso. Podemos pensar que admitir a um Poder Superior seja o suficiente. Mas conversar com outro ser humano nos ajudará a nos livrarmos da culpa, do isolamento e da vergonha em relação a nosso comportamento no passado.

Talvez muitos dos fatos revelados no Quinto Passo tenham sido mantidos em absoluto segredo. Muitas vezes nossa doença pode ter justificado nosso comportamento. Então, é importante que alguém, que esteja num processo de recuperação, nos ajude a descobrir a natureza exata de nossas falhas e o que nos levou ao nosso comportamento doentio, tirando-nos da armadilha da negação e da nossa posição de vítima daquelas situações nas quais nos encontrávamos. Dessa forma, descobriremos que a trama de nossas ações de “amar demais” era, na verdade, movida pelo egoísmo, controle e pela nossa incapacidade de amar e receber amor verdadeiro. Os papéis desempenhados por nós em nossos relacionamentos tinham a função de resgatar os sentimentos enraizados na nossa infância, como a raiva o medo e o abandono. Ser “boazinha” escondia nossa necessidade de agradar e controlar as outras pessoas.

É importante que a pessoa que escolhemos para fazer esse Quinto Passo seja de nossa inteira confiança, mantendo estrita confidência de nossas revelações e que ela possa ter a compreensão de nossos problemas. Esse confidente pode ser uma companheira mais experiente no programa do MADA, ou outra pessoa, mas é importante que conheça a natureza da nossa doença. Poderá ser um terapeuta ou conselheiro espiritual. Mas não faça de seu parceiro esse ouvinte.
Ao praticarmos o Quinto Passo, estaremos entrando no caminho de abertura e limpeza de nossa vida. Quando falamos com outro ser humano sobre nossos sentimentos mais dolorosos, eliminamos sentimentos e emoções reprimidas durante anos, fazendo com que desapareçam. À medida que a dor desaparece, abrimos espaço para entrar coisas novas em nossas vidas.

Perguntas do Quinto Passo:

1. Que justificativas a impedem de confiar seus sentimentos mais profundos a outro ser humano?
2. É difícil para você confiar nas pessoas? Ou você se abre facilmente, mas com pessoas inadequadas?
3. O que lhe falta para tomar a decisão de fazer o Quinto Passo?

Deixe uma resposta