Junho é mês de…

Junho é o mês de…

Sexto Passo

Nos prontificamos, inteiramente, a deixar que Deus removesse todos os nossos defeitos de caráter. No Quarto Passo, fizemos um inventário de nossas vidas, tomamos consciência de nossos defeitos de caráter, nossas armadilhas e jogos de “amar demais”. Depois compartilhamos essas descobertas com outra pessoa chegando à seguinte questão: como faremos para modificar essa realidade?

Já vimos no Segundo Passo que necessitamos da ajuda de um “Poder Superior”, como cada uma de nós o concebe, acreditando que Ele poderia nos devolver uma vida saudável. Neste momento, Deus remove todas as nossas imperfeições. Vamos voltar a algumas lembranças do nosso passado para compreendermos melhor a natureza desse passo. Muitas de nós devem se lembrar de algum episódio de insanidade em algum relacionamento e que, num momento de desespero, juramos não agir mais daquela maneira, pedindo “pelo amor de Deus”; que Ele nos tirasse daquela situação. Mas, decorrido algum tempo, voltávamos a agir de forma doentia, negando a gravidade da situação, imaginando ter o controle sobre as coisas e pessoas. Isso ocorria porque não tínhamos consciência de que éramos dominadas pela doença de “amar demais”. Além disso, quando fazíamos esse pedido a Deus não éramos movidas pela consciência da nossa necessidade de mudança e de uma predisposição interior para que Ele nos ajudasse, mas sim, como uma necessidade de aliviar momentaneamente aquela situação, até que as coisas se abrandassem.

Deus, como nós O concebemos, pode transformar nossas vidas e provocar essa mudança. Mas precisamos, além de acreditar nisso, nos predispor e querer essa mudança.Compreendemos que, antes de pedirmos a Deus que nos modifique, precisamos abrir nossa mente para que essas mudanças possam ocorrer. É preciso querer que essas mudanças ocorram. É necessário abrir mão de todos os hábitos que nos prejudicam e aos outros. Precisamos estar prontas e aceitar essas mudanças. Você pode estar pensando: “posso viver sem alguns comportamentos, mas de outros não estou disposta a abrir mão, (não importa qual seja). Fazendo imposições jamais conseguirei mudar”.

Lembre-se: a remoção dos nossos defeitos, nossa mudança, será feita pelo “Poder Superior”. Nós precisamos, apenas com consciência, sentir e dizer: “eu não quero mais conviver com isso, estou aberta para enfrentar essa mudança”. Não sou mais movida pelo desespero do sofrimento, mas pelo desejo de obter uma melhora profunda. Uma das características de uma mulher que ama demais é a falta de autoestima. Acostumadas ao sofrimento, passamos pela vida acreditando que não merecíamos ser felizes. Fazer o Sexto Passo é também acreditar que merecemos essa mudança e merecemos uma vida feliz. “Estou disposta a abrir mão de todos os hábitos que prejudicam meu crescimento e a deixar que Deus remova da minha vida todos os hábitos negativos e defeitos adquiridos no passado. Eu estou pronta”.

Perguntas do Sexto Passo:

1. Ao dar uma olhada na lista do seu Quarto Passo, existe alguma coisa da qual você acredita ser”impossível” abrir mão em sua vida, mas que você sabe ser necessário mudar?

2. Você acredita realmente que uma modificação profunda possa ocorrer em sua vida?