JUNHO É MÊS DE…

SEXTA TRADIÇÃO

Nenhum Grupo de MADA jamais deverá endossar, financiar ou emprestar o nome de MADA a qualquer sociedade ou empreendimento alheio à Irmandade a fim de evitar que problemas de dinheiro, propriedade ou prestígio nos desviem do nosso propósito primordial.

Esta Tradição adverte aos grupos para se manterem fiéis exclusivamente ao nosso propósito primordial.

A pessoa que atende telefonemas para MADA ou que trabalha no Intergrupo ouve todo tipo de propostas interessantes.
A razão para que não nos envolvamos em empreendimentos alheios à Irmandade é resumida no seguinte: MANTENHA A SIMPLICIDADE.

Devemos voltar a atenção dos grupos à única função de MADA, que é transmitir a mensagem de recuperação dos Doze Passos às MADAs que ainda sofrem.
Membros pouco familiarizados com as Tradições podem divulgar empreendimentos alheios à Irmandade nas reuniões, vender de tudo e até tentar converter membros às suas religiões. É responsabilidade nossa alertar essas companheiras a cumprirem as Tradições com fervor.

A literatura aprovada por MADA reflete a experiência de muitos membros da Irmandade, cuja recuperação está fortemente enraizada nos Doze Passos e nas Doze Tradições. A Sexta Tradição ajuda os grupos de MADA a cumprirem nosso propósito primordial de transmitir a mensagem de MADA. Se o tempo das reuniões é tomado por depoimentos em favor de grupos religiosos ou outros programas de Doze Passos, as recém-chegadas não conseguirão distinguir qual é a mensagem da nossa Irmandade, e aí a mensagem de recuperação de MADA logo se perde. As recém-chegadas podem ficar com a impressão de que outros programas são mais importantes que o problema de amar demais. Manter essa Tradição significa nos abstermos de falar sobre outros programas nas nossas reuniões.

Empreendimentos alheios a MADA podem endossar MADA, porém MADA não endossa nenhum empreendimento de fora. Damos as boas-vindas a todas as mulheres que chegam às nossas reuniões com o desejo de parar de se relacionar de forma destrutiva, não importa em quais outros tipos de tratamento elas possam estar envolvidas.

MADA não se filia a nenhum tipo de tratamento ou terapia. Os grupos frequentemente se reúnem em instalações que pertencem a um empreendimento alheio à Irmandade, tais como igrejas, postos de saúde ou escolas. Isso não significa que haja filiação entre MADA e a entidade proprietária do prédio onde o grupo se reúne. Os grupos de MADA tradicionalmente pagam aluguel pelo uso do espaço da reunião.

MADA também não é filiada a outros grupos de Doze Passos e Doze Tradições, embora muitas de nós sejamos também membros desses grupos. MADA tem frequentemente usado a sabedoria e a experiência de outros grupos de Doze Passos ao tomar decisões para nossa Irmandade, mas não somos parte de nenhum deles, nem eles de nós.

Temos o nosso propósito a cumprir: oferecer uma Irmandade de Doze Passos e Doze Tradições para as mulheres que amam demais.

A liberdade que possuímos por não termos ligação com qualquer empreendimento de fora é maravilhosa. Operamos com um mínimo de preocupação em relação a dinheiro, a problemas administrativos, a sucesso ou fracasso. Podemos nos concentrar na recuperação em relação ao relacionamento destrutivo do que em outros problemas que causam tantos conflitos no mundo à nossa volta.

Reflexões da Sexta Tradição:
1. O nosso grupo desencoraja membros a fazerem propaganda de empreendimentos de fora das reuniões de MADA assim como fazer comércio em nossas reuniões?
2. Tomamos cuidado para nunca usarmos nossos contatos do grupo de MADA para obtermos ganho financeiro pessoal?
3. Quando compartilhamos nas reuniões, somos cuidadosas para não deixarmos subtendido um endosso por MADA a empreendimentos alheios, tais como outros grupos de Doze Passos, terapias, publicações etc.?

Outro lema que resume a Sexta Tradição é: “Primeiro as Coisas Primeiras”. Em MADA aprendemos a nos concentrar em nosso propósito primordial e a excluir de nossos grupos tudo que possa interferir em nossa capacidade de transmitir a mensagem de MADA.

Deixe uma resposta