AGOSTO É MÊS DE…

OITAVO PASSO

Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a fazer reparações a todas elas.

O Oitavo Passo é o teste da nossa recém encontrada humildade. Nosso objetivo é a libertação da culpa que carregamos até agora. Queremos olhar o mundo de frente, sem agressividade ou medo.

“Será que estamos dispostas a fazer uma lista de todas as pessoas que prejudicamos?” Faremos isso a fim de limpar o medo e a culpa que o passado ainda nos traz. Nossa experiência já nos demonstra que precisamos sentir boa vontade para que esse possa surtir qualquer efeito.

O Oitavo Passo não é fácil; exige um novo tipo de honestidade nas nossas relações com os outros. O Oitavo Passo inicia o processo do perdão. Se perdoarmos os outros, possivelmente seremos perdoadas e, finalmente, nós nos perdoaremos e aprenderemos a viver no mundo. Quando atingimos este passo estamos prontas para compreender mais do que ser compreendidas. Podemos viver e deixar viver mais facilmente, quando conhecemos as áreas em que devemos reparações. Pode parecer difícil agora, mas depois que o fizermos, perguntaremos por que não tínhamos feito isso há mais tempo.

É importante que se defina o que é “prejudicar”. Uma definição de prejuízo é dano físico ou mental. Outra definição de prejudicar é causar dor, sofrimento ou perda. O prejuízo pode ser causado por algo que seja dito, feito ou que não tenha sido feito. Podemos ter prejudicado com palavras ou ações, intencionais ou não. O grau de prejuízo pode ser com palavras ou ações, intencionais ou não. O grau de prejuízo pode variar desde fazer com que alguém se sinta mentalmente desconfortável até o dano físico ou mesmo a morte.

O Oitavo Passo nos confronta com um problema. Muitas de nós têm dificuldade de admitir que prejudicaram outras pessoas, pois se julgavam vítimas. Temos que separar o que fizeram conosco daquilo que fizemos com outros. Deixamos de lado nossas justificativas e a ideia de sermos vítimas.

Frequentemente sentimos que só prejudicamos a nós mesmas, porém, normalmente nós nos colocamos no último lugar na lista de reparações, quando nos colocamos. Esse passo faz o trabalho externo para reparar os destroços de nossas vidas. Não nos tornamos pessoas melhores julgando os erros dos outros. O que nos fará sentir melhor é limpar nossas vidas, aliviando a culpa.

Escrevendo a lista não poderemos mais negar, admitindo que prejudicamos outras pessoas, direta ou indiretamente, através de alguma ação, mentira, promessa quebrada ou negligência. Encaramos a lista com honestidade, com o objetivo de fazer reparações. O mais importante é que este passo nos ajuda a criar uma consciência de que estamos aos poucos, ganhando novas atitudes em relação aos outros.

O Oitavo Passo oferece uma grande mudança numa vida dominada pela culpa e pelo remorso. Nosso futuro é modificado porque não temos que evitar as pessoas que prejudicamos. Recebemos uma nova liberdade pondo fim ao isolamento.

Ao percebermos a necessidade de sermos perdoados, temos uma tendência maior para o perdão. Sabemos que não estamos magoando os outros intencionalmente.

O Oitavo Passo é de ação. Como todos os passos, oferece benefícios imediatos.

O Oitavo Passo nos coloca no limiar da libertação do ódio de nós próprias; abre-se a porta para uma nova paz de espírito que, uma vez obtida, não desejamos perder.

Perguntas do Oitavo Passo:

  1. A quem magoei? Magoei as pessoas mais próximas?
  2. Meus relacionamentos foram destrutivos e dolorosos?
  3. Será que prejudiquei também meus filhos, doutrinando-os sutilmente com desprezo ao pai?
  4. Transmiti-lhes a minha ansiedade e ao meu ressentimento?
  5. Desforrei neles a minha frustração?