AGOSTO É MÊS DE…

OITAVA TRADIÇÃO

MADA deverá manter-se sempre não profissional, embora nossos centros de serviço possam contratar funcionários especializados.

A base de MADA é a troca sem limitações de experiências, forças e de esperança entre os membros. Como MADAs, podemos doar muitas horas de serviço para o grupo, amadrinhando, partilhando nas reuniões, fazendo o trabalho necessário em comitês ou em outros tipos de serviço. Nenhuma de nós recebe pagamento em dinheiro por esse trabalho. Nossa recompensa é algo que o dinheiro não pode comprar: nossa recuperação pessoal.

A Tradição do não profissionalismo ajuda o Grupo MADA a se manter afastado da motivação do lucro e a se concentrar em oferecer a recuperação através dos Doze Passos a todas aquelas que a procuram.

As recém-chegadas ficam impressionadas com a honestidade que escutam, com a profundidade das partilhas e com o espírito de compaixão que encontram nas reuniões.

Como não existem membros profissionais em MADA, todas nós temos oportunidade igual de compartilhar e de prestar serviços. Não precisamos de nenhum pré-requisito para isso. Tudo o que precisamos é de boa vontade e de um compromisso com os Doze Passos e com as Doze Tradições de MADA.

A Oitava Tradição diz que “nossos centros de serviço podem contratar funcionários especializados”. Quando no Intergrupo ou no escritório de serviço, existirem serviços que demandarem habilidades especiais para tratar dos negócios de MADA, faz-se cumprir essa Tradição. Esses funcionários especializados podem ser membros ou não da Irmandade.

Tais pessoas, entretanto, estão sendo pagas por seus trabalhos como profissionais, não como MADAs profissionais.

As reuniões de MADA são frequentemente muito terapêuticas, mas elas não são a mesma coisa que grupos de terapia.

Uma diferença significativa entre os grupos de MADA e os grupos de terapia pode ser vista na Oitava Tradição: MADA não possui terapeutas profissionais com a responsabilidade de orientar membros do grupo e trabalhar com eles. Embora a maioria de nós se sinta livre para partilhar problemas nas reuniões de MADA, fornecer psicoterapia não é o objetivo de MADA. Durante o processo de recuperação, alguns membros podem precisar de ajuda de um profissional nesta área como complemento ao grupo.

O grande bem que MADA proporciona às MADAs é feito não profissionalmente pelas companheiras, que dão de volta o que lhes foi dado tão generosamente. Esse espírito de doação e de partilha desinteressado é uma das grandes forças que temos a oferecer como Irmandade, porque é acompanhado de um poder de cura especial. Não nos esqueçamos de que o programa de MADA é espiritual.

Em MADA aprendemos a dar às outras nosso carinhoso apoio, sem dar conselhos ou tentar modificar as outras, e sem esperamos que trabalhem nossa recuperação por nós.

O serviço em MADA é a sua própria recompensa.

Ao acatarmos a Oitava Tradição, descobrimos um espírito de serviço carinhoso, que se torna um fator poderoso em nosso processo de cura. Somos todas não profissionais ao nos apoiarmos mutuamente em nosso processo de recuperação.

Vivendo de acordo com o espírito dessa Tradição, podemos olhar a nossa companheira ao lado e dizer de coração: “Coloco minhas mãos nas suas, porque eu me importo com você”. Em espírito de Irmandade.

Só por hoje!

Reflexões da Oitava Tradição:

  1. Será que algumas vezes tentamos “consertar” as companheiras nas reuniões de MADA dando a elas nossos conselhos, ou nos contentamos em compartilhar nossas experiências, fé e esperança?
  2. Será que tentamos falar sobre recuperação nas reuniões como especialistas?
  3. Quando estamos tendo dificuldades com o programa, será que tentamos esconder isso daqueles que amadrinhamos ou dos nossos grupos de MADA?
  4. Colocamos outros membros de MADA na posição de gurus ou especialistas por causa de sua experiência ou carisma pessoal?